Vencendo a halitose

Há mais de uma década entrei para ABHA – Associação Brasileira de Halitose, onde me qualifiquei para o tratamento do mau hálito e alterações salivares.

Uma das satisfações de realizar esse tipo de tratamento é resgatar o portador da halitose para o convívio  social.

Sabemos que 90% dos casos de halitose está na boca, e que o dentista é o profissional de primeira escolha para o diagnóstico e tratamento do mau hálito, mas ainda pelo tabu de achar que o mau hálito vem do estômago, os pacientes percorrem uma verdadeira via sacra em consultórios dos gastroenterologistas e otorrinolaringologistas, em busca de solução.

Foi assim que conheci o Sr. P. B.S., 54 anos, divorciado. Ele relatou sofrer com o mau hálito por mais de 15 anos.

Diagnostiquei, após uma longa anamnese, alteração salivar, tanto de quantidade como qualidade. Após orientações para mudança de hábitos, fizemos um plano de tratamento com uso de laser e eletroterapia, restabelecendo esse padrão salivar alterado.

Acompanhei o Sr. P. por um período de três meses, devolvendo a segurança que ele tinha perdido, afinal, esses 15 anos causaram grandes prejuízos relacionados à autoestima dele.

No momento da alta, recebi um grande abraço do Sr. P., que com os olhos cheios de lágrimas, disse: “Dr. Marcos, pena que não o conheci antes, pois tenho certeza que se tivesse me tratado antes, minha ex-esposa não teria me abandonado”.

Como não me emocionar todo dia com essa lembrança? Como não estudar cada dia mais para ajudar mais pessoas? Como não amar o que eu faço?


marcosMarcos Moura
Cirurgião-dentista qualificado em alterações salivares e tratamento do mau hálito. Especialista em Endodontia. Diretor executivo da ABHA – Associação  Brasileira de Halitose. 

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA