Nutrição e a Odontologia do Esporte

O organismo do atleta é mantido pela ingestão de dietas líquidas e sólidas responsáveis pelo fornecimento de nutrientes, que devem ser processados pelo sistema digestório, a partir da cavidade oral. É nela que, pela presença dos dentes, músculos e saliva, inicia-se a quebra do alimento, formando o bolo alimentar.

A mastigação é a primeira etapa do processo de digestão e tem como objetivo preparar, fragmentar e suavizar os alimentos. Durante a mastigação, as partículas dos alimentos são reduzidas e umidificadas pela mucosa salivar, formando o bolo e facilitando a sua passagem.

Com essa breve descrição podemos observar a grande interligação entre a Nutrição e a Odontologia, que se estreita quando é falado em nutrição, dieta e saúde bucal em um atleta.

As mudanças no estilo de vida, com a adoção de escolhas alimentares mais saudáveis, além de prática de atividade física e redução do estresse favorecem melhoria da saúde. O desejo da manutenção da forma corporal pode incentivar o consumo de bebidas energéticas quando da execução de atividades em academias ou em esportes competitivos. O risco é a ocorrência da redução da secreção da saliva, assim como o aumento do índice de cáries, o que pode prejudicar o desempenho do atleta.

Sabe-se que a ordem e combinação dos alimentos podem potencializar ou não o efeito cariogênico. Doces ou frutas que contenham carboidrato fermentável e capacidade de aderência, se ingeridos com líquido, tem sua cariogenicidade reduzida pelo menor tempo de exposição e poder de tamponamento dos minerais fósforo e cálcio presentes.

Se o doce é consumido na refeição principal, como sobremesa, não causará o mesmo efeito do que se consumido isoladamente durante o dia. Alimentos ácidos – como frutas cítricas, tomates e limões – podem ser consumidos como parte das grandes refeições, para minimizar a ação ácida. Além disso, as proteínas, essenciais ao bom funcionamento do organismo, devem ser distribuídas por todas as refeições grandes ou pequenas, pela ingestão de carnes, peixes e aves, ovos, feijões, laticínios, além de fontes de minerais, que podem contribuir com o sistema tampão da saliva, textura e unificação do bolo para digestão.

O hábito de mastigar efetiva a quebra em partículas pequenas o alimento, aumenta o fluxo da saliva, minimiza a acidez, reduz a adesão aos dentes.

O saber combinar alimentos se torna uma arte que contribui para minimizar prejuízos à saúde geral e bucal. Por esse motivo, a saúde bucal, principalmente a do atleta, deve ser considerada, pois se há a presença de uma cárie, inflamação, infecção ou qualquer problema odontológico existe o risco de interferir maleficamente em todo o estudo e aplicação nutricional.

É importante, portanto, que as equipes de saúde envolvidas no dia a dia do atleta conheçam suas interações, limitações e interferências, para que sempre prevaleça a saúde plena, assim como o desempenho máximo do atleta.


Dr. ReinaldoReinaldo Brito e Dias
Cirurgião-dentista. Professor Responsável pela Disciplina de Odontologia do Esporte da FOUSP. Membro da Comissão Científica da Academia Brasileira de Odontologia do Esporte. Representante no Estado de São Paulo da Academia Brasileira de Odontologia do Esporte. Membro da Câmara Técnica de Odontologia do Esporte do CROSP. Presidente do Conselho Curador da FFO – Fundecto. Membro da Academy of Dentistry International. 

DEIXE UMA RESPOSTA