Odontologia do Esporte como especialidade

Em um momento em que a economia mundial investe cerca de 1 trilhão de dólares no setor esportivo e em seus diversos segmentos, cifras que representam um dos maiores percentuais de crescimento econômico, e às vésperas da realização das Olimpíadas e Paraolimpíadas em nosso país, a Odontologia brasileira se destaca com a inclusão da Odontologia do Esporte como especialidade odontológica.

Esta ação vem ao encontro da necessidade, cada vez maior, de oferecer saúde, prevenção, proteção e acompanhamento odontológico ao atleta, colaborando assim para o seu desempenho esportivo. Vivemos em um momento que a famosa frase “O Importante é Competir”, de Pierre de Frédy, Barão de Coubertin, idealizador do renascimento dos Jogos Olímpicos da era Moderna, não tem mais sentido. Atualmente “O Importante é Vencer”.

Nas últimas décadas, consideráveis avanços tecnológicos e em pesquisas no segmento esportivo são utilizados. As mais variadas formas de auxiliar o atleta a se superar, como diminuição do tempo de recuperação, produção de tecidos capazes de aumentar a aero e hidrodinâmica em uniformes nas diferentes modalidades, criação e utilização de softwares que facilitam a análise de movimentos e correção de postura nas diferentes práticas, identificação de talentos usando a genética, entre outros. Isto posto, cabe a reflexão: “A saúde bucal tem recebido o mesmo aporte, cuidado e atenção?”.

A Odontologia do Esporte, por meio da Resolução CFO 160/2015, datada em 02 de outubro de 2015, foi reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia como especialidade odontológica. Acatando decisões da III Assembleia Nacional de Especialidades Odontológicas (ANEO), realizada em São Paulo, nos dias 13 e 14 de outubro de 2014, que em seu Art. 4º- “A Odontologia do Esporte é a área de atuação do cirurgião-dentista que inclui segmentos teóricos e práticos da Odontologia, com o objetivo de investigar, prevenir, tratar, reabilitar e compreender a influência das doenças da cavidade bucal no desempenho dos atletas profissionais e amadores, com a finalidade de melhorar o rendimento esportivo e prevenir lesões, considerando as particularidades fisiológicas dos atletas, a modalidade que praticam e as regras do esporte”. Reconhecimento almejado e conseguido por meio de inúmeros estudos clínicos e científicos que esta área desenvolveu ao longo dos anos em que aqueles que a ela já se dedicavam tiveram o cuidado de preservar e embasar a Odontologia do Esporte em evidências científicas.

Desta forma, a responsabilidade do cirurgião-dentista aumenta. A prática desta nova especialidade carrega a responsabilidade dos cuidados aos atletas na prevenção, proteção, cuidados no doping, acompanhamento e orientação, que muitas vezes é particular e específica de cada modalidade.

O cirurgião-dentista que se dedicar à Odontologia do Esporte deve estar sempre atualizado quanto às regras das modalidades específicas, determinações anuais da agência controladora de doping (WADA), relação da saúde bucal com a saúde geral do atleta e vice-versa, além de cuidados elementares com a tabela de jogos e convocações do mesmo. Enfim, temos que manter o padrão de conduta, estudos e afirmações sempre baseados em comprovações científicas, sem apenas replicar informações que nos chegam das mais diferentes formas e nas mais diversas mídias.

O profissional que se dedicar ao atendimento do atleta/paciente deve conhecer as particularidades desse organismo, tratá-lo e protegê-lo da melhor forma possível, lembrando que, muitas vezes, não temos somente a saúde do atleta sob nosso cuidado e atenção, temos suas conquistas, sua carreira, sua modalidade esportiva e também o país ao qual ele representa.



Dr. ReinaldoReinaldo Brito e Dias
Cirurgião-dentista. Professor Responsável pela Disciplina de Odontologia do Esporte da FOUSP. Membro da Comissão Científica da Academia Brasileira de Odontologia do Esporte. Representante no Estado de São Paulo da Academia Brasileira de Odontologia do Esporte. Membro da Câmara Técnica de Odontologia do Esporte do CROSP. Presidente do Conselho Curador da FFO-Fundecto. Membro da Academy of Dentistry International.

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA