Higiene bucal dos idosos

casal de idosos sorrindo

O tempo passa, mas os cuidados com a higiene bucal devem ser mantidos na terceira idade. Essa, porém, não é a realidade para muitos brasileiros. Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE em 2013, 41,5% das pessoas acima de 60 anos já perderam os dentes, e esse número correspondia a mais de 23,5 milhões de pessoas no Brasil.

Os números são assustadores, pois revelam que, a cada quatro idosos, três não possuem dentes naturais. A falta de cuidados com a higiene bucal nesta fase da vida pode causar problemas como xerostomia, cárie de raiz, problemas nas pontes/próteses totais ou parciais, câncer, lesão mucosa bucal, doenças periodontais, endocardite e atrição/abrasão.

“Há uma mentalidade equivocada de que é normal chegar à terceira idade sem dentes e que usar dentadura é uma consequência natural. É totalmente possível envelhecer de maneira saudável. O fundamental é a prevenção”, afirma a cirurgiã-dentista Érika Vassolér, também consultora de higiene bucal da Condor.

Outros fatores podem prejudicar a saúde bucal na terceira idade: o uso de muitos medicamentos, retração de gengiva e o tratamento contra o câncer.

Categoria de idosos

  • Independentes: vivem sem auxílio.
  • Parcialmente dependentes: precisam de ajuda para algumas tarefas.
  • Totalmente dependentes: não têm iniciativa própria e necessitam de um cuidador.

Segundo Érika Vassolér, quem usa dentaduras ou próteses deve manter os cuidados com a saúde bucal. A higienização deve acontecer ao acordar, após as refeições e antes de dormir. As placas bacterianas se formam também nas próteses e podem causar doenças se não forem removidas. Uma delas é a endocardite, inflamação de um tecido do coração ou pneumonia por aspiração que pode levar à morte.

É indicado colocar a prótese à noite em um copo de água de preferência com tampa para evitar a contaminação. “É importante que o dentista recomende a retirada da dentadura para dormir, para assim relaxar os tecidos de suporte. Para os idosos que têm ausência total de dentes, a limpeza da gengiva e mucosa pode ser realizada utilizando uma solução de digluconato de clorexidina a 0,12%, sem álcool, que pode ser aplicada com uma gaze”, afirma Érika.

A limpeza da língua também é muito importante, e pode ser feita com raspador ou gaze de maneira delicada. A placa esbranquiçada no dorso da língua é sinal da má higienização e pode causar halitose e infecções bucais.

Oriente o seu paciente sobre os cuidados com a prótese dentária móvel

  • Antes de retirar a prótese, é importante lavar as mãos.
  • Para evitar acidentes, uma toalha deve ser indicada para evitar que a prótese caia no chão.
  • Indique sempre duas escovas: uma para os dentes naturais e outra para a prótese.
  • Reforce sobre a importância da limpeza adequada de cada face da prótese.
  • O paciente deve colocar, duas vezes por mês, a prótese em um copo com água e três gotas de água sanitária durante 30 minutos. A lavagem deve ser realizada com bastante água e pasta de dente não abrasiva.
  • É imprescindível limpar bem a boca antes de colocar a prótese. Indique o bochecho com água, utilizando uma escova macia para massagear a gengiva, bochecha e língua.

Fonte: Condor

DEIXE UMA RESPOSTA