Avanços no clareamento dental com LED violeta

O diodo emissor de luz, também conhecido pela sigla em inglês LED, vem se tornando cada vez mais popular, na medida em que tem substituído lâmpadas comuns que iluminam locais e instrumentos. Mas o que pouca gente sabe é que em breve o LED violeta vai substituir os géis clareadores dentais.

No dia 1º de fevereiro, das 10h às 11h30, os cirurgiões-dentistas Aldo Brugnera Junior e Fatima Zanin – pioneiros no uso de laser para clareamento dental – vão dar uma aula sobre “clareamento dental fotoativado com novo sistema de LED violeta”.

Depois de anos estudando o uso de LASER e LED na Odontologia, Brugnera – que já foi presidente da World Federation for laser in Dentistry entre 2012 e 2016 – mostra que o clareamento dental com LED violeta é mais eficaz do que outros métodos já consagrados. “Assim como o LED azul, a luz violeta é visível e não ionizante. A diferença é que o LED violeta pode ser usado com ou sem uso de gel clareador para ter um efeito estético invejável. Ela sozinha é capaz de fragmentar os pigmentos que dão cor aos dentes, clareando em até três tons”.

Uma grande vantagem, para muitos pacientes, é poder abrir mão do uso do gel clareador, geralmente feito de peróxido de hidrogênio ou carbamida. “O clareamento dental com LED violeta é uma forma moderna e segura, quando realizada por profissional devidamente capacitado, de dar adeus àquele sorriso amarelado ou acinzentado. Esse tipo de clareamento é considerado um método avançado que melhora o conforto e a segurança, respeitando os tecidos gengivais e não prejudicando o esmalte dental”, diz Brugnera. “Além disso, evita um efeito colateral muito comum dos clareamentos que é a hipersensibilidade”.

De acordo com o especialista, já existem equipamentos disponíveis no mercado. Em média, são necessárias três sessões de meia hora cada uma para se atingir o clareamento desejado. “É importante ressaltar mais dois pontos importantes: primeiramente, a efetividade do clareamento vai depender muito do tipo de mancha que o paciente tem, geralmente determinada por seus hábitos alimentares e sociais. Clarear os dentes e persistir no consumo de café, chá preto, molho de tomate, vinho e fumo – que reconhecidamente contribuem para o escurecimento dos dentes – é um erro que deve ser evitado. Além disso, o clareamento com LED violeta deve ser realizado com espaço de uma semana entre as sessões. Sendo assim, recomendamos paciência para os adeptos de soluções mágicas, que não se sustentam com o passar do tempo. Esse tempo entre uma sessão e outra é fundamental para que o resultado seja alcançado da melhor firma possível”.


Fonte: Blog do 35º CIOSP

 

DEIXE UMA RESPOSTA