A crise econômica na Odontologia

crise econômica

Por: Vanessa Navarro

A crise que assola a economia do nosso país é destaque em todos os veículos de comunicação, em todas as rodas de amigos, em todos os lugares. Juros que não param de crescer, desemprego batendo na porta de muitos, e a sensação de impotência parece que ganha espaço em lares e empresas brasileiras.

Passando por esse período turbulento no quesito finanças, como o cirurgião-dentista pode manter o padrão de atendimento odontológico em sua clínica ou consultório?

Dr. George Bueno, especialista em Ortodontia e gestor, é categórico na resposta: “O dentista não pode deixar a peteca cair”, e completa: “a crise econômica nos convida para testarmos a nossa criatividade. Não podemos deixar que todo um segmento profissional entre em decadência e perca a credibilidade por conta de atitudes não tomadas. O paciente é, e sempre será, o principal motivo da própria existência do profissional. A demanda por serviços odontológicos chama o cirurgião-dentista ao trabalho”, defende.

O também especialista em comunicação em mídias digitais e em internet em saúde explica que a união com outros profissionais, o corte de gastos fixos e a substituição de alguns materiais podem ser algumas alternativas para aumentar a lucratividade e priorizar a manutenção da qualidade dos procedimentos.

Parece clichê, mas toda crise gera oportunidades, e sabendo trabalhar de maneira racional, tal quadro proibitivo pode ser revertido.

Dr. George apresenta, de forma clara e bem objetiva, cinco dicas para superar todo tipo de crise, seja ela interna ou externa.

  • Invista em você (dinheiro e, principalmente tempo).
  • Acredite nas pessoas, elas podem mudar o mundo.
  • Limite o tempo de reuniões e quantidade de vezes que checa o e-mail.
  • Compartilhe conhecimento. Afinal, isso nunca é demais.
  • Converse olhando nos olhos do seu paciente.
  • Seja a solução e não o problema.

 

 

COMPARTILHE

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA