Luiz Fernando Varrone fala sobre os caminhos da ABO

Em seu segundo mandato como presidente da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), o cirurgião-dentista Luiz Fernando Varrone fala sobre a trajetória da Associação, que possui quase um século de história.

Por: Vanessa Navarro

Local Odonto – Quando eleito, em 2013, o senhor afirmou que sua proposta era trabalhar para o bem da Odontologia, com espírito produtivo e de coalizão. Hoje, no segundo mandato como presidente da ABO, como define essa trajetória de quatro anos à frente da instituição, que já possui quase um século de história?
Luiz Fernando Varrone – Os desafios foram muito mais expressivos do que imaginei. Apesar de eu ter sido presidente do Conselho Deliberativo Nacional e, portanto, já conhecer a entidade, ela é ainda maior do que parecia ser, porém, acredito que estamos no rumo certo.
Do ponto de vista administrativo, foi possível dar uma nova cara à ABO, com a visão de profissionalização adotada. Já do ponto de vista associativo, temos uma instituição com dois grupos – como é natural que seja – e ambos têm uma visão crítica bastante aguçada. Isso faz com que o Conselho Executivo seja constantemente cobrado e, consequentemente, nos obriga a estar mais atentos e empenhados em buscar por novas conquistas.

Local Odonto – Quantos profissionais de saúde bucal são efetivamente membros da associação? Quais os benefícios concedidos a eles?
Luiz Fernando Varrone – Consideramos, atualmente, 90 mil associados. A totalização deste número dependeria de um sistema único de cadastro, mas creio que superamos os 100 mil membros.
Alguns dos benefícios concedidos pela Rede ABO são conseguidos pela negociação direta entre a ABO Nacional e as empresas parceiras, por exemplo, plano ou seguro-saúde, plano de previdência, seguro de vida, seguro com diária por incapacidade temporária (DIT), seguro de responsabilidade civil, seguros diversos e convênio com administradora de cartões.
Além disso, há as vantagens obtidas pelos convênios regionais (variáveis de Estado para Estado), as quais posso garantir que são muitas. Oferecemos a possibilidade de descontos em todos os nossos eventos, como o congresso em comemoração aos 100 anos da ABO e da Federação Latino-Americana (FOLA), que será realizado entre os dias 8 e 10 de junho de 2017, no Costão do Santinho, em Florianópolis (SC).

Local Odonto – Qual a opinião do senhor sobre expandir a relação entre as seccionais e suas regionais, visando ao benefício da Odontologia brasileira?
Luiz Fernando Varrone – Nas gestões que nos antecederam, houve uma preocupação bastante grande em relação à política internacional. Neste ponto, acredito que foi atingida a meta então proposta. No entanto, desde nossa primeira campanha, sempre tivemos como prioridade o trabalho no desenvolvimento da política nacional.
Cremos – e isso não é uma crítica, mas sim uma mudança de visão – que nossas células ficaram um pouco desamparadas. Com essa nova perspectiva, procuramos nos aproximar, seja com nossa presença nas reuniões de CORE (Conselhos das Regionais de cada Estado) e em eventos ou criando benefícios para toda a Rede.

Local Odonto – Com a missão de promover a Odontologia nacional e internacionalmente, valorizar o cirurgião-dentista no contexto técnico-científico e sociocultural e contribuir com a política de promoção de saúde bucal da população, a ABO conta com diversos programas e projetos direcionados à saúde bucal dos brasileiros. Entre eles, está Um Sorriso do Tamanho do Brasil. Quais são os objetivos do programa e quais são os benefícios que ele traz aos brasileiros?
Luiz Fernando Varrone – Temos muitas modificações, bem como diversos projetos e ações. Reinventamos nosso site e o nosso jornal. Também criamos a nossa fanpage.
Vejo que o programa Um Sorriso do Tamanho do Brasil, que está somente na sua segunda edição, será o maior legado desta gestão.
A ação tem dois objetivos principais: fazer o bem e contagiar outras pessoas para que queiram fazer o bem. Em 2015, todo o projeto foi concebido, elaborado e desenvolvido em apenas seis meses, graças ao empenho e comprometimento da Dra. Amélia Mamede, diretora do Departamento de Prevenção e Promoção à Saúde e coordenadora do programa.
De um modo geral, o projeto é executado durante todo o ano, porém, na última semana de outubro de 2016, realizamos todas as ações simultaneamente. Na ocasião, promovemos um concurso de desenho, aulas de circo, plantio de árvores, cortes de cabelo, exames oftalmológicos e ginecológicos e espaços lúdicos. Distribuímos 12 mil kits de higiene, ministramos palestras e atendemos em entidades e comunidades carentes. Como continuidade, encaminhamos às nossas sedes os casos de pacientes que não puderam ter seus procedimentos realizados na data.
Na segunda edição, foram entregues 40 mil kits em 17 Estados. Para a terceira, a meta é ainda maior.

Local Odonto – Existem planos para a implantação de novos projetos com apoio da ABO em 2017? O que o cirurgião-dentista brasileiro pode esperar para este novo ano?
Luiz Fernando Varrone – Temos muitos novos projetos, mas queremos enfatizar ainda mais aqueles relacionados às ações sociais. Reunimos um programa de incentivo à amamentação e à doação de leite humano, chamado “ABO Amiga do Peito”, e outro para o estímulo da doação de sangue, denominado “Sou Doador do Tipo ABO”.
Há, ainda, alguns mais antigos, incluindo “Responsabilidade Social”, “Responsabilidade Ambiental” e “Diga Não ao Cigarro”. Isso sem mencionar os diretamente ligados à Odontologia. Temos muito a realizar e precisaremos da participação cada vez maior dos nossos colegas.

Local Odonto – A ABO, em sua gestão, passou a se preocupar mais com a atuação em nível internacional, começando com visitas importantes a alguns países, como México e Portugal. Para a Odontologia brasileira, qual é a importância de estreitar a relação com outras nações?
Luiz Fernando Varrone – A preocupação com a política internacional surgiu em 2014, na América Latina, por meio da nossa participação mais assídua nas reuniões da Federação Odontológica Latino-Americana (FOLA).
No último ano, em 2016, visitamos outras nações que também falam a língua portuguesa e, ainda, estenderemos essa busca por parcerias para a Europa e América do Norte.
Como é sabido, temos uma das melhores Odontologias do mundo. A procura feita por outros países por este nosso conhecimento é significativamente grande. Este relacionamento é importante para oferecermos os cursos das diversas ABOs, bem como levarmos os professores da Rede ABO aos locais onde for preciso.
Teremos a possibilidade de expandir o nome da ABO nos mais diversos lugares do globo, colaborando para melhorar ainda mais o conhecimento dos profissionais e, consequente e indiretamente, ajudar a população desses países.

Local Odonto – O senhor acredita que a Odontologia brasileira é um exemplo para os cirurgiões-dentistas que atuam em outros países do globo?
Luiz Fernando Varrone – Como já mencionado, sem sombra de dúvidas, temos uma das melhores Odontologias do mundo. Basta ir aos eventos e ver, na grade científica, a qualidade dos palestrantes; nas feiras, o nível de tecnologia atingido pelos fabricantes de equipamentos e materiais; e, na publicação de artigos científicos, a competência da pesquisa realizada no Brasil.
Apesar disso, alguns lugares do país sofrem com a ausência total de atendimento odontológico. Nas nossas ações, presenciei um fato, no mínimo, lamentável: entreguei um kit de higiene oral a uma criança e ela, feliz da vida, mostrou-o para a mãe e comentou que eles não precisariam mais dividir a mesma escova de dentes. Ou seja, somos exemplo em várias “partes” da Odontologia, mas precisamos ser no “todo”.


fernandoLuiz Fernando Varrone
Cirurgião-dentista. Especialista e Mestre em Endodontia. Presidente da Associação Brasileira de Odontologia (ABO Nacional).

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA