Fórum sobre Odontologia Hospitalar foi um grande sucesso

Dentista no Hospital

Por: Vanessa Navarro

A Odontologia Hospitalar ganhou grande destaque na grade científica da 34ª edição do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo.

Recentemente regulamentada pelo Conselho Federal de Odontologia, a prática foi brilhantemente discutida por quatro renomados especialistas. Os doutores Alessandra Figueiredo de Souza, Fernando Martins Baeder, Frederico Buhatem Medeiros e Paulo Sérgio da Silva Santos trouxeram reflexões pertinentes sobre a atuação do cirurgião-dentista em ambiente hospitalar.

Alessandra Figueiredo de Souza, Mestre em Saúde Púbica, Especialista em Microbiologia e em Saúde do Idoso, iniciou o fórum com o tema “Adequação dos cuidados bucais nas UTIs”.

Devidamente munida de informações científicas, Alessandra focou a sua apresentação na presença da pneumonia na UTI, mostrando a relação da higiene oral com a doença multifatorial e apresentando as medidas específicas fortemente recomendadas para a prevenção da pneumonia. “Para trabalhar em ambiente hospitalar, o profissional precisa ser capacitado e conhecer a rotina do espaço, transformando-se em um requisito indispensável”, explicou.

A especialista encerrou a sua apresentação com imagens chocantes de lesões bucais em pacientes internados na UTI, imagens que mostram o quão importante é a presença de um cirurgião-dentista capacitado em ambiente hospitalar.

O tema “O cirurgião-dentista na equipe multidisciplinar do hospital” foi discutido pelo Doutor em Odontopediatria e em Pacientes Especiais, Mestre em Laser e Especialista em Farmacologia, Fernando Martins Baeder.

Baeder iniciou a apresentação destacando o conceito de Odontologia Hospitalar como o conjunto de ações preventivas, diagnósticas, terapêuticas e paliativas em saúde bucal. “Tais ações são executadas em ambiente hospitalar em consonância com a missão do hospital e inseridas no contexto de atuação da equipe multidisciplinar”.

O palestrante enfatizou que o cirurgião-dentista que visa trabalhar no âmbito hospitalar deve ser clínico geral habilitado ou com experiência comprovada no atendimento. “O dentista participa das discussões da equipe multidisciplinar em casos de internação, prescrição, intervenção odontológica, acompanhamento e alta”, esclareceu o especialista, que finalizou a palestra ressaltando, mais uma vez, a real importância da equipe multidisciplinar em ambiente hospitalar para a saúde do paciente.

“Medicamentos e repercussões bucais” foi o assunto abordado pelo Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofaciais e em Implantodontia e Mestre em Diagnóstico Bucal-Semiologia, Frederico Buhatem Medeiros.

Frederico destacou a importância das bases racionais da escolha terapêutica, apresentando cuidados essenciais que devem ser tomados durante o tratamento odontológico de paciente em condições especiais, como gestantes, cardiopatas, portadores de diabetes, hipertensos, entre outros.

“Devem existir cuidados especiais com anestésicos locais e outros medicamentos prescritos. A administração deve ser avaliada de acordo com cada caso. O dentista também deve ter atenção redobrada com os medicamentos de uso constante, pois podem desenvolver alterações bucais”, alertou o também especialista em Odontologia ao Cardiopata.

O cirurgião-dentista ainda frisou que o conhecimento da farmacologia dos medicamentos prescritos é essencial, alertando a todos os participantes sobre a importância de avaliar muito bem o prontuário de cada paciente antes de prescrever qualquer medicamento.

Paulo Sérgio da Silva Santos, estomatologista e Doutor em Patologia Bucal, dissertou sobre “as bases para a atuação odontológica no hospital”.

O profissional de saúde bucal defendeu que a essência é que faz o dentista ser um bom profissional em Odontologia Hospitalar. “O cirurgião-dentista deve participar do processo terapêutico de cura ou de melhoria de qualidade de vida do paciente, independentemente do tipo de doença que o acomete”.

Com a apresentação do organograma hospitalar, evidenciando o staff médico e o staff odontológico, o especialista alertou que o dentista precisa de treinamento e de conduta ética e exemplar. “O profissional de saúde bucal deve conhecer a casuística da instituição para entender melhor a situação atual”.

Sérgio ainda destacou um grande empecilho que acomete a classe odontológica: a dificuldade de entender a importância do trabalho em equipe. “Somos formados para sermos unidiscliplinares, para sermos dominantes. No hospital, você faz parte de uma equipe. As discussões precisam ser tomadas em conjunto”, destacou. “Vamos fazer uma Odontologia Hospitalar de qualidade, reconhecida e respeitada por todos os profissionais que atuam em ambiente hospitalar”, finalizou.

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA