Consequências da má higiene oral

má higiene oral

Todos os órgãos cumprem suas funções, desde que nutridos e cuidados devidamente. Quando, por motivo de doenças ou acidentes, algum deles falha, todos os outros serão comprometidos. Portanto, se a saúde bucal está deficiente, as bactérias e fungos que habitam a região, podem proliferar e migrar para outros órgãos, comprometendo a saúde geral do indivíduo, afirma Dra. Viviane Cury Azevedo, Periodontista da Uniodonto, São Paulo.

Os microrganismos bucais, segundo pesquisas, estão comprovadamente relacionados a doenças cardíacas, doenças pulmonares, diabetes, partos prematuros e nascimento de bebês com baixo peso.

Bactérias causadoras de doenças periodontais podem causar lesões nas válvulas cardíacas, originar endocardites e também são encontradas nos ateromas. Essas mesmas bactérias, quando aspiradas por uma pessoa que já se encontra debilitada por alguma enfermidade, também podem originar pneumonias.

O controle das infecções bucais é igualmente importante para o controle metabólico do diabetes.

Pesquisas demonstram que indivíduos diabéticos com boa higiene oral têm diminuição da glicemia e, caso façam uso de insulina, necessitam utilizá-la em menor quantidade. Portanto, a relação do diabetes e da doença periodontal pode ser considerada uma via de mão dupla, pois uma interfere na outra.

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte (EUA) estabeleceram uma relação entre pacientes gestantes, portadoras de doença periodontal e partos prematuros e ainda ao nascimento de bebês de baixo peso.

Os hábitos diários de higiene bucal – como utilização de escova e fio dental – podem minimizar esses riscos.

Fonte: Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA